Lance Stroll fecha o dia na ponta em Silverstone

31 de julho de 2020

Por Robério Lessa  – Uma sexta-feira (31) movimentada em Silverstone, na Inglaterra, palco do Grande Prêmio da Inglaterra de Fórmula 1 e grande parte desta movimentação deve-se à Racing Point que teve de substituir o mexicano Sergio Péres (clique aqui para ler matéria completa sobre o assunto)  pelo alemão Nico Hulkenberg.

Logo pela manhã, Nico, que havia deixado a então Force India após a temporada de 2016 para ingressar na Renault, chegou ao autódromo inglês para seu reencontro inesperado com a equipe a qual havia deixado e, em uma postagem em rede social, na época, debochado da cor rosa da escuderia. “Agora vocês sabem o real motivo de eu ter saído da Force India”.

Sem dúvida alguma, Hulk, como também é conhecido, teve de engolir seco o desdém e, calado, embora feliz, retornar, “pianinho” à categoria. Tudo foi feito de forma apressada, banco e regulagem dos pedais. Antes do treino, o piloto teve de participar de uma sessão com o simulador.

Sendo o centro das atenções na primeira sessão, Hulkenberg sofreu para adaptar-se e mostrou-se desconfortável. “Devo sentir dores no sábado e no domingo”, afirmou o piloto do carro 27 que ficou com a nona marca ao fechar seu melhor tempo em 1min28,592s.

À tarde Nico melhorou sua marca e encerrou o dia em sétimo com o tempo de 1min29,910s. No entanto a estrela da segunda sessão foi seu companheiro de equipe, o canadense Lance Stroll.

Lance, que fora o terceiro pela manhã, entrou na pista com muita vontade de andar rápido e em uma volta com direito a uma leve passagem das rodas esquerdas sob a grama, bateu a marca do holandês Max Verstappen (1min27,422s), conquistada no primeiro treino livre, e encerrou o dia como o mais rápido ao estabelecer a melhor volta em 1min27,274s, à frente 0.090s do tailandês Alexander Albon, o segundo colocado, que acabou batendo seu Red Bull e tendo de abandonar a sessão.

Em terceiro ficou o Finlandês Valtteri Bottas, seguido pelo monegasco Charles Leclerc e o britânico Lewis Hamilton.

O hexacampeão não mostrou-se surpreso com o resultado e afirmou que o dia não foi dos melhores, mas que há de evoluir no sábado (01) na terceira sessão de treino livre e na classificação. “Foi um dia difícil no qual o vento atrapalhou muito. O carro não está como eu gostaria que estivesse e os pneus macios também não eram os melhores. Vamos trabalhar com os engenheiros e amanhã vamos ver o que podemos fazer”, disse.

Sobre os pneus, Mario Isola, gerente de motorsport da Pirelli,  falou sobre o desafio que representa o circuito de Silverstone para a fornecedora de pneus da F1. “Silverstone é sempre um desafio difícil, mas quando a pista é ‘verde’ em uma sexta-feira e nessas condições extremamente quentes, o trabalho dos pneus se torna ainda mais difícil. Como as condições climáticas provavelmente se tornarão consideravelmente mais frias para o resto do fim de semana, isso torna a vida um pouco mais difícil para as equipes. Os dados coletados hoje podem não ser inteiramente relevantes para as condições de corrida esperadas, por outro lado. Foi interessante ver que 17 dos 20 carros ficaram separados por apenas 1,5 segundo no TL2, o que sugere que estamos em um fim de semana muito disputado”, salientou Isola.

Um destaque negativo foi a queda de desempenho de Max Verstappen. Após ter sido o primeiro na sessão inicial, o holandês terminou a segunda parte dos treinos em 14º. Quem também não se deu bem, tendo até problemas com os pedais de sua Ferrari, foi o alemão Sebastian Vettel que fechou o dia em 18º.

Os pilotos voltam à pista no sábado (01) para o terceiro treino livre com início previsto  às 7h (Horário de Brasília) e a classificação às 10h (Horário de Brasília). No domingo (02) a largada está marcada para às 10h10min (Horário de Brasília).

Confira os tempos do segundo treino livre:


Fotos: F1/Divulgação.

Texto: Robério Lessa

Copyright© 2007-2020 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: