Chegou a hora dos Sertões 2020

30 de outubro de 2020

Chegou a hora de avançar Brasil adentro e levar ajuda a quem mais precisa. A caravana do Sertões, o maior rally das Américas, encara neste sábado a primeira das sete etapas, que termina em Barreirinhas (MA), dia 7/11. Do Autódromo Velocitta em Mogi Guaçu, os competidores das motos, quadriciclos, carros e UTVs encaram um percurso de 585 quilômetros, sendo 205km contra o relógio, que marca a 1a. etapa da prova. Pelo caminho, belas paisagens, mas também os primeiros desafios. A organização promete um dia de muita técnica e navegação, um verdadeiro teste para pilotos e navegadores.

Se depender do aperitivo, a disputa promete ser de arrepiar. As máquinas deram show no prólogo que determinou a ordem de largada para a especial deste sábado. Num percurso travado, de 4.730 metros, com saltos e curvas fechadas, a briga pela vantagem de abrir o trecho foi definida por poucos segundos. Mesmo com quase cinco mil quilômetros de prova pela frente, os pilotos não pouparam o equipamento e levantaram poeira.

Nas motos, Ricardo Martins (Yamaha WR 450F/IMS Yamaha) foi o mais rápido, com 4min27. O atual campeão dos Quads, o maranhense Marcelo Medeiros, se “intrometeu” entre as motos, cravando o segundo melhor tempo na classificação com seu quadriciclo Yamaha YFM700R. Estreando sobre a Honda CRF 450 RX da equipe oficial, Júlio Zavatti, o Bissinho, veio em seguida. O atual campeão, Tunico Maciel (Honda CRF 450 RX) parte s 6ª posição.

Sobre quatro rodas, apenas dois segundos separaram os vitoriosos nos UTVs – Deninho Casarini/Ivo Mayer (Can-Am X3) de Rodrigo Varela/Gunnar Dums (Can-Am X3), que ficaram com o segundo lugar.A dupla atual campeão, Denisio Nascimento/Idali Bosse (Can-Am X3), parte

Diferença ainda menor entre os primeiros nos carros. Cristian Baumgart/Beco Andreotti estreando a Toyota Hilux IMA/X Rally em terras brasileiras foram os melhores, com 4min13. Um segundo mais rápido do que os atuais campeões Lucas Moraes/Kaíque Bentivoglio (Ford Ranger V8/MEM). Logo em seguida, a três segundos dos vencedores, o maior vencedor entreos carros, Guiga Spinelli/Youssef Haddad (Mitsubishi Triton SR/Spinelli Racing).

No sábado (31) começa a prova para valer!. Especial de 205 km em uma região muito bonita, por estradas de fazenda. Piçarras e lombas são predominantes e altos sem visão. Etapa segue nessa tocada até o km 30, quando entra propriamente em uma região montanhosa, com muitas lajes e pedras, sem visão e abismo dos dois lados. Uma especial bastante técnica, que exigirá muito da navegação e atenção de pilotos e navegadores. Volta a ser rápida por estradas de fazenda, retornando a um piso mais liso, de piçarras, até o km 100. São duas travessias de cidades, por zona de radar e a prova fica estreita, passando por fazendas menores, em trecho bem travado. Os últimos 20 km são bem rápidos e conclui em uma zona agrícola. O dia finaliza com 120km de deslocamento.

Os desafios de 2020: Um ano diferente pede um Sertões diferente. O maior rally das Américas se transforma no “Rally da Solidariedade”. A 28ª edição da prova traz adaptações relevantes nas suas três dimensões: Esporte, Social e Turismo. A missão este ano é levar acesso à medicina de qualidade e fomento econômico para as comunidades remotas e carentes do Brasil. Este ano a ação social do Sertões está focada em dois pilares: 1. Saúde: a instalação de unidades de teleatendimento médico gratuito de qualidade, projeto inovador desenvolvido pelo SAS Brasil;  2. Legado econômico: Ação coordenada com o SEBRAE em apoio à campanha ‘COMPRE DO PEQUENO’. Aquisição de cestas básicas de pequenos produtores locais que serão distribuídas nas regiões aos que estão sem trabalho e renda, além de todo abastecimento das Bolhas Sertões. O lado competitivo da prova foi adaptado e traz um protocolo de segurança especial com 10 medidas. A caravana ficará isolada em bolhas durante o percurso, em acampamentos fechados. Já a dimensão Turismo, que revela lugares que pouca gente conhece, foi postergada para 2021.

O roteiro da grande aventura: O Sertões 2020 sai da Fazenda Velocitta, em Mogi Guaçu (SP) dia 30/10 e chega em Barreirinhas (MA) dia 07/11. Vai cruzar cinco Estados e o Distrito Federal – SP, MG, DF, GO, TO e MA. Este ano, excepcionalmente, não haverá chegada às cidades anfitriãs. Toda a caravana se fechará em bolhas – locais isolados, afastados de adensamento.  Esses locais serão mantidos sob sigilo, a fim de evitar aglomeração. Os locais exatos das bolhas só serão revelados aos competidores na véspera. Todos seguirão por uma rota pré-estabelecida e monitorada.

 

Texto: Comunicação – Sertões/Divulgação

Fotos: Cadu Rolim/Vinicius Branca/Fotop/Divulgação

Copyright© 2007-2020 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: