Giovani Almeida é campeão da Gold Classic

30 de novembro de 2020

O final de semana de Giovani Almeida (AGP, LAF Blindados, AGRI Laf e Portal High Speed Brazi) em Interlagos foi espetacular. Sob um calor muito forte e uma sequência de corridas alucinantes, o piloto paulista mostrou preparo e força na disputa da Gold Classic e da Opala 250.

Na disputa da Gold Classic, Almeida que esteve a bordo do VW Passat #37, da equipe HT Guerra, mostrou pleno domínio do equipamento. Foram duas disputas no traçado paulista onde a categoria reuniu quase 60 carros no grid, o que aumentou ainda mais a dificuldade da corrida.

Na primeira corrida, Almeida travou belas batalhas com Antônio Chambel e seu VW Gol #57. Além das disputas entre os ponteiros da categoria TS, Almeida teve belas disputas com os carros das outras categorias, mostrando o equilíbrio da Gold Classic em Interlagos.

No final, após muito trabalho e sob um calor muito forte, Giovani conquistou a primeira vitória do final de semana, sendo oitavo na disputa geral. Chambel ficou em segundo  e Paulo Bernardes concluiu a disputa no terceiro lugar.

A segunda corrida da Gold Classic começou com um fator totalmente diferente das corridas anteriores, a chuva. Com uma configuração de traçado totalmente diferente, Almeida e Chambel passaram a travar novamente a batalha pela primeira colocação da categoria TS, enquanto iam ultrapassando os carros das outras categorias.

A poucas voltas do final, Giovani assumiu a primeira colocação da disputa e conseguiu colocar uma boa vantagem sobre o adversário, mas na última volta, o piloto do carro #57 realizou uma ultrapassagem sobre o carro #37 de Almeida sob bandeira amarela. Chambel cruzou a linha de chegada na frente, Almeida na segunda colocação garantiu o título da categoria.

Com os resultados obtidos, Giovani Almeida conquistou o título da temporada de 2020 da Gold Classic na categoria TS (Turismo Super), que é composta por carros equipados com motores 2.0.

“Só alegrias com a Gold Classic. Ganhamos aqui em Interlagos, apesar do (Antônio) Chambel ter cruzado a linha de chegada na segunda corrida em primeiro, ele me ultrapassou sob duas bandeiras amarelas e bandeira de sinalização de óleo na pista e ele não viu, tenho certeza pois o Chambel é um  gentleman e esse tipo de fato já aconteceu comigo também em Cascavel. Mas o melhor de tudo é que estamos saindo com o título da Turismo Super na Gold Classic. Foram três etapas onde tive apenas uma quebra  e conquistei quatro vitórias e um segundo lugar. Tenho que agradecer muito a equipe HT Guerra que faz de tudo pra gente o que nos contagia e consequentemente fazemos de tudo dentro da pista para poder honrar o que eles fazem aqui fora da pista. Eu dedico esse título para a equipe e ao meu pai que estava correndo aqui comigo aos 78 anos, dando show. Uma pena que o carro dele acabou quebrando, mas não posso estar melhor acompanhando do que pelo meu pai e pela equipe HT Guerra”, afirmou Giovani.

Quando questionado sobre a categoria, o piloto não poupou elogios a Luc Monteiro, organizador do evento. “Eu sou fã do Luc. Além de um grande amigo eu dou parabéns para ele todas as vezes que converso com ele, pois não vejo no Brasil, quem sabe na América Latina, um cara que tem a paciência dele, a tranquilidade dele em reunir mais de 60 carros de diversas categorias em Cascavel, em Curitiba e aqui em São Paulo e se Deus quiser no ano que vem teremos mais etapas no calendário. Ele é um baita profissional, um grande locutor e vem se mostrando um grande organizador de eventos. Sou fã número um dele sem a menor sombra de dúvidas”, disse Almeida.

 

Opala 250

A disputa dos Opalas trouxe muito trabalho para Giovani Almeida. Na primeira corrida muitas divididas de curvas e um suado (literalmente) terceiro posto. Já na segunda corrida, o piloto do carro  #37 fez uma disputa de recuperação após acabar se tocando com um adversário e cair para a última posição da categoria. No final o quarto lugar mostrou toda a competência do piloto da equipe HT Guerra que também falou sobre a disputa na categoria.

“Na Opala 250 conquistamos um terceiro lugar na primeira corrida que foi muito suado e um quarto lugar na segunda bateria. Acabei me tocando com um concorrente na segunda corrida e com isso acabei rodando. Fui parar em último lugar, me recuperei, deixei diversos adversários para trás e consegui terminar na quarta colocação. A categoria precisa de mudanças e os organizadores estão vendo isso. Se torna desmotivante algumas situações que estamos passando aqui, pois andávamos de igual para igual no inicio da temporada e nosso carro só melhorou e agora alguns adversários estão andando mais rápidos que carros da Old Stock Race, o que sinceramente não é normal. Espero que os organizadores e os comissários da FASP consigam tirar isso a limpo, pois é muito desmotivante esse tipo de situação. Vamos continuar lutando na próxima etapa mesmo com tudo que anda acontecendo na categoria”, concluiu o piloto.

 

 

Texto: Matheus Furlan/High Speed Brazil/Divulgação

Fotos: Rafael Catelan/Divulgação

Copyright© 2007-2020 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: