Mauro Reis quer manter “vontade de correr” no encerramento da temporada do Cearense de Automobilismo

4 de dezembro de 2020

O que motiva um piloto a trocar de esporte na maturidade?

Para Mauro Reis a resposta foi “reencontrar o prazer de competir”.

Acostumado à festa e aos desafios do hipismo, aos 50 anos, Mauro reis decidiu ceder ao convite do irmão Maurílio Reis e ingressar nas competições sobre quatro rodas.

Inicialmente no Kart, ele descobriu que tinha talento para acelerar e logo ganhou o apelido de “veim voador”, bem ao gosto do bom humor cearense.

Não bastou o kart para aplacar a sede por aventura e por superar seus próprios limites e assim, em 2019 Mauro ingressava no Campeonato Cearense de de Protótipo com seu ST número 111. Logo que entrou na pista do Autódromo Virgílio Távora, viu-se que nos vasos sanguíneos dos Reis circula um pouco de gasolina misturado aos glóbulos vermelhos e ao plasma.

A cada corrida, a cada treino, seja no Ceará, na Paraíba ou em Pernambuco, Mauro procurava melhorar e para isso sempre esteve disposto a ouvir outros pilotos e seus companheiros de equipe como o preparador “Maiquinho”, um verdadeiro escudeiro do piloto que sabe traduzir os desejos do piloto e preparar um carro confiável e veloz.

Mauro e o preparador “Maiquinho”.

“Eu aprendi com meu pai que a melhor companhia para o fracasso é a solidão. Não chegamos a lugar algum sozinho e no automobilismo essa é uma máxima que precisa ser respeitada como dogma. Por isso agradeço muito ao “Maiquinho” pela atenção que ele tem comigo e com todos os outros companheiros da equipe. Neste fim de semana vou entrar na pista sem pressão, quero me reencontrar, quero sair de cada corrida com um sorriso no rosto, já que meu foco é o Brasileiro de Kart que será disputado em Dezembro, na cidade de Birigui, no Interior de São Paulo”, revelou.

Texto: Robério Lessa
Fotos: Roan Trajano – Equipe @carrosecorridas

Copyright© 2007-2020 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: