Daniel Serra e Ricardo Maurício mostram força em Goiânia

24 de abril de 2021

Nem mesmo “um piscar de olhos” serviria de referência para explicar a ínfima diferença de tempo entre o pole position da primeira etapa da temporada 2021 da Stock Car, Cacá Bueno e o segundo colocado, o tricampeão Daniel Serra, Ricardo Maurício vem logo atrás, na terceira posição.

O treino classificatório para formação do primeiro grid de largada do ano aconteceu neste sábado (24), no Autódromo Internacional de Goiânia (GO). Os competidores foram divididos em dois grupos para a fase do Q1, e os quinze mais rápidos passaram na peneira.

De volta à pista, apenas os seis primeiros seguiram para a disputa da pole. Foram mais oito minutos de box aberto para que eles acertassem a melhor volta e o direito de largar na frente na corrida de amanhã.

A segunda prova não terá formação de grid. A largada será em movimento, com inversão de posição entre os que chegarem nas dez primeiras posições.

O desempenho de Maurício e Serra mostrou que a equipe Eurofarma-RC, além da disputa com os adversários de outras equipes, terá mais uma edição de sua briga interna pelo título, no caso, pelo quarto título de ambos os pilotos que acumulam seis campeonatos conquistados ao todo, sendo três para cada um.

“Foi excelente, conseguimos colocar quatro carros no Q3 e claro, tínhamos a expectativa da pole e faltou muito pouco. Mas, estamos satisfeitos com o resultado e amanhã, o objetivo principal é fazer uma boa corrida porque temos condições de brigar pela vitória”, afirmou Rosinei Campos, Chefe da equipe Eurofarma-RC.

“Largar em segundo também é bom, mas, claro, nós tínhamos carro para brigar pela pole, a diferença foi de apenas cinco milésimos de segundo. No Q1 o carro estava muito bom, impressionantemente bom e eu tentei repetir no Q2 e Q3, mas, não consegui. Mas, temos um bom carro para a corrida, agora temos que pensar o que cada um vai fazer de estratégia, pensar nas possibilidades e começar o campeonato”, disse Serra.

“Foi super positivo. O meu carro estava muito dianteiro na primeira curva , fizemos alguns ajustes para a classificação e acho que foi isso que me colocou no Q2 e Q3. Entrou uma nuvem, deu uma esfriada e tudo acabou encaixando. Só tenho que agradecer a equipe pelo trabalho em todos os treinos, o carro foi evoluindo. Estamos a apenas 40 centésimos de segundos do Cacá, bem vivos na briga e ainda tem muita água para rolar”, avaliou Ricardo Maurício.

Texto: Patrícia Alves/Divulgação.
Fotos: Bruno Terena/Divulgação.

Copyright© 2007-2021 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: