GP da Espanha terá pneus mais duros para equipes

5 de maio de 2021

A Pirelli, fornecedora oficial de pneus para a Fórmula 1, informou que os compostos mais duros serão usados no Grande Prêmio da Espanha, no Autódromo de Barcelona.

Tal como aconteceu no ano passado, quando o Grande Prêmio da Espanha foi realizado pela primeira vez em meados de agosto, os pneus mais duros da gama colocada à disposição da categoria retornam ao Circuito de Barcelona, na Catalunha.

As equipes poderão escolher entre  os compostos duro – C1 (P Zero branco) , médio – C2 (P Zero Amarelo) e macio C3 (P Zero Vermelho), os mesmos usados na etapa passada, em Portugal.

Embora as condições climáticas devam ser consideravelmente mais frias na Espanha do que no ano passado, as demandas de alta energia da pista permanecem, especialmente a longa curva três para a direita, que impõe forças consideráveis no pneu dianteiro esquerdo, em particular.

A curva 9 também é um desafio para os pneus. Como resultado, os compostos mais duros ainda são a escolha mais adequada, segundo a Pirelli.

Pela primeira vez desde 2014, não houve nenhum teste de pré-temporada em Barcelona, então as equipes vêm a este circuito com seus novos carros pela primeira vez, sem ter tido a chance de coletar dados sobre o desempenho dos carros nessa pista em suas especificações mais recentes.

As Características da Pista de Barcelona –

O layout da pista mudou este ano, com um perfil modificado para a Curva 10 (La Caixa) para melhorar a segurança. O resultado é uma curva para esquerda mais larga do que a versão anterior, o que permitiu uma maior área de escape e encurtará a zona de frenagem, com maior velocidade de entrada de curva. A volta agora também está 20 metros mais longa.

As conhecidas demandas da pista de Barcelona tornam a tática de uma parada bem desafiadora: embora a probabilidade de um clima mais frio deva ajudar este ano. Em 2020, a corrida foi vencida pelo piloto Lewis Hamilton, da Mercedes, com uma sequência de macio-médio-médio de duas paradas, embora Sergio Pérez tenha terminado em quino após parar apenas uma vez, de macio para o médio, enquanto Valtteri Bottas foi ao pódio usando uma estratégia de três paradas.

Barcelona é conhecida por ser uma pista onde é bastante difícil ultrapassar na maior parte da volta, embora a longa reta descendente possa dar uma vantagem de potência e DRS para ajudar a alinhar um movimento de ultrapassagem. Tudo isso torna a posição de classificação e a estratégia de corrida particularmente importantes para ganhar uma posição na pista.

Com uma série de corridas de apoio na programação, a superfície deve evoluir rapidamente com mais borracha acumulada, diferentemente de outros grandes prêmios deste ano onde a Fórmula 1 foi a única ação em pista.

“A estratégia de corrida em Barcelona foi influenciada principalmente pelas altas temperaturas da pista na temporada passada. Este ano, com a corrida voltando para um data de primavera, as temperaturas serão mais amenas, mas ainda devem ser um fator-chave por trás da estratégia. A alteração de perfil da curva 10 oferece outro desafio que pode influenciar a forma com os pilotos encaram a volta. Já vimos, no passado, que a estratégia tem sido um dos principais fatores de diferenciação em Barcelona e temos a expectativa de que esse seja o caso mais uma vez neste fim de semana”, explicou Mario Isola, Gerente de Motorsport da Pirelli.

Texto: Com informações da Pirelli.
Fotos e Imagens: Pirelli

Copyright© 2007-2021 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: