André Negrão espera vencer os Toyota em Portimão

10 de junho de 2021

Para todos, vale um registro na história. Mas para a equipe Alpine, defendida pelo brasileiro André Negrão e os franceses Nicolas Lapierre e Matthieu Vaxivière, o desafio vai muito além disso. Como ficou provado na primeira etapa do Campeonato Mundial de Endurance (WEC), os carros da equipe Toyota possuem um ritmo muito superior e essa vantagem tende a ser decisiva.

Por isso uma vitória nas 8 Horas de Portimão, na estreia do WEC em Portugal no próximo domingo, tem um valor especial. “Você pode entrar para a história, o que é legal. Mas o que a gente busca mesmo é tentar derrotar a Toyota”, diz André, que foi o principal nome da Alpine em Spa-Francorchamps, quando pilotou o modelo Alpine A480 durante metade das seis horas de corrida, superando um dos dois Toyota inscritos.

“Mesmo com um pit stop a mais na Bélgica, lideramos metade da corrida e só chegamos um minuto atrás do Toyota vencedor, que tem como vantagem ser 4×4 e ter motor híbrido, consumindo menos combustível. Queremos repetir o desempenho em Portimão, mas dessa vez quem sabe chegar na frente”, resumiu Negrão, campeão mundial do WEC em 2018/2019 na categoria LMP2. A vitória na Bélgica coube ao Toyota GR010 Hybrid pilotado pelo forte trio Sébastien Buemi (Suíça), Kazuki Nakajima (Japão) e Brendon Hartley (Nova Zelândia).

Primeira etapa – Na corrida que abriu a temporada, Negrão foi decisivo para que a equipe liderasse metade da corrida. A estratégia da Toyota se mostrou eficiente, fazendo valer o menor consumo de combustível da tecnologia híbrida para fazer um pit stop a menos, dando aos japoneses uma vantagem decisiva.

Mesmo com a Alpine na liderança na maior parte da prova, o time nipônico só tomou a ponta definitivamente quando restavam 40 minutos para o final da corrida, momento em que o brasileiro foi aos boxes pela última vez, retornando em seguida ainda ao volante do Alpine para completar a corrida.

Pandemia – Por ser a primeira vez para todos os pilotos em Portimão com o WEC, os treinos exigirão um trabalho de adaptação. “Meus parceiros de equipe treinaram bastante no simulador, o que certamente é o caso de todos os pilotos que residem na Europa. Mas eu não pude, por que a pandemia do covid-19 está dificultando o trânsito de não europeus, especialmente os residentes em países onde a crise sanitária está mais grave”, conta o piloto brasileiro.

“Mas não me sinto em desvantagem. Sei que vou me adaptar a esta pista. Sei que ela é exigente e também tem um asfalto impecável, mas com baixos níveis de grip (aderência). Mas sei que é uma pista bastante elogiada, especialmente depois da reforma que levou à volta da F-1 a Portugal, no ano passado. Como muitos dizem, o traçado parece uma montanha-russa para quem está pilotando, pois as subidas e descidas são constantes. Isso pra não falar nas curvas cegas e com inclinação variada. Resumindo, é uma pista divertida”, opina o brasileiro.

Negrão e sua equipe estão no segundo lugar na classificação do campeonato, com 18 pontos, atrás apenas da tripulação do Toyota vencedor na Bélgica, que soma 25. A programação do final de semana será aberta na sexta-feira (11), quando acontece a primeira sessão de treinos livres. O sábado contará com a realização de mais dois treinos livres e a classificação. A largada para as 8 Horas de Portimão do WEC está marcada para 7h.

Confira a programação para as 8 Horas de Portugal:
Sexta-feira, 11 de junho
11h15 – treino livre 1

Sábado, 12 de junho
5h35 – treino livre 2
10h – treino livre 3
14h – classificação

Domingo, 13 de junho
7h – 8 Horas de Portimão

Veja a classificação do campeonato após uma etapa:
1º – Brendon Hartley/Kazuki Nakajima/Sébastien Buemi – 25 pontos
2º – André Negrão/Matthieu Vaxivière/Nicolas Lapierre – 18
3º – José María López/Kamui Kobayashi/Mike Conway – 15

 

 

Texto: Divulgação

Fotos: Divulgação

Copyright© 2007-2021 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: