Pirelli levas os três compostos mais duros de sua escala de pneus para o Catar

16 de novembro de 2021

Para o primeiro Grande Prêmio do Catar, que será realizado no domingo (21), ao longo de 57 voltas,  a Pirelli, fornecedora oficial de pneus para a Fórmula 1, vai disponibilizar os composto C1 – P Zero White rígido, C2 -P Zero Yellow médio e C3 – P Zero Red macio. Diferentemente do GP de São Paulo que usou a gama C2, C3 e C4, mais macia, a escolha se deve pelas características do circuito obtidas por testes e simulações .

Esta é a quinta e última vez neste ano que os três compostos mais duros serão usados.

Os dados existentes e as simulações das equipes apontam para Losail ser um circuito de alta severidade com curvas muito exigentes – semelhante a Silverstone ou Mugello – e asfalto bastante agressivo. A aderência também pode ser afetada pela areia do deserto ao redor da pista. Com o Catar também sendo um local completamente novo para a Fórmula 1, a Pirelli optou pelos três compostos mais duros: capaz de lidar com todas as demandas variadas de Losail.

O Circuito:

Há uma reta de largada e chegada com pouco mais de um quilômetro de extensão, mas também uma rápida sucessão de 16 curvas para completar o resto da volta, o que significa que os pneus estão sempre trabalhando duro. Espera-se que isso leve a um grau razoavelmente alto de degradação.

A pista ainda tem sua superfície original de 2004, que oferece alta aderência e tornou-se bastante abrasiva com o tempo, acentuando o desgaste e a degradação.

Apesar da presença de grama artificial estrategicamente posicionada ao redor do circuito para afastar a areia do deserto, o asfalto ainda pode ficar muito empoeirado, afetando a aderência.

As curvas 12 a 14 formam uma direita de ápice triplo, formando quase um único canto de alta energia de 5,2 g que lembra um pouco a famosa Curva oito na Turquia – apenas na direção oposta.

O Catar é apenas uma das quatro corridas disputadas à noite sob holofotes este ano. Isso significa que a evolução da temperatura da pista ao longo do Grande Prêmio deve ser bem diferente em comparação com uma corrida padrão da tarde, com potencial para uma grande queda no decorrer da corrida.

No deserto, existe uma grande diferença de temperatura entre o dia e a noite. Enquanto a corrida acontece às 17 horas local, os treinos livres um e três acontecem durante o calor do dia, então apenas treino livre dois e a classificação fornecem uma imagem verdadeiramente representativa das prováveis ​​condições de corrida.

Não há corridas de suporte na programação e o circuito não tem sido muito usado recentemente, o que significa que não há borracha colocada antes dos carros de F1 rodarem. Como resultado, os motoristas podem esperar uma pista escorregadia no início e um alto grau de evolução da pista. A superfície também pode ser “restaurada” com o sopro de areia da pista durante o fim de semana.

Texto: Com informações da Pirelli.
Imagem: Pirelli.

Copyright© 2007-2021 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: